Informações geográficas de Pedro Osório e Cerrito em 1788

Quando: 31/Dezembro/1787, 20:53

Por Rodrigo Netto
11/01/2011 20:00
Atualizado em 28/09/2017 11:35
Licença:
Este trabalho está licenciado com uma Licença Creative Commons - Atribuição-NãoComercial-SemDerivações 4.0 Internacional
Do São Gonçalo, ao longo da margem direita do rio Piratini, aparece o passo do Liscano, umas charqueadas, o Forte São Gonçalo, o posto de Estância da Charqueada, a Estância do Francisco Ruiz, a Estância do Correia Pinto, a Estância do José Cardoso (ao norte da confluência do Santa Maria – que já figura no mapa – com o rio Piratini). 

Continuar lendo

Publicidade

Do São Gonçalo, ao longo da margem direita do rio Piratini, aparece o passo do Liscano, umas charqueadas, o Forte São Gonçalo, o posto de Estância da Charqueada, a Estância do Francisco Ruiz, a Estância do Correia Pinto, a Estância do José Cardoso (ao norte da confluência do Santa Maria – que já figura no mapa – com o rio Piratini). 

Do São Gonçalo, ao longo da margem esquerda do Piratini aparecem Passo do Bica, Estância do Coronel Rafael Pinto Bandeira, Estância de Pedro Fagundes (na confluência com Arroio das Pedras que aparece com este nome) e entre o rio Piratini e o arroio das Pedras, as Estância do Major Manoel Marques de Souza e de seu irmão Luiz Marques de Souza (estabelecida antes de 1763 e base de guerrilhas que citei a partir de 1769). Aparece igualmente o Cerro Pelado. 

O passo do Acampamento surge com este nome desde então. A dúvida se foi ponto de vigilância na guerra ou de acampamento da Demarcação. 

Os estancieiros ao norte do Piratini, em Cerrito atual, eram as figuras militares mais importantes das nascidas no Rio Grande do Sul e continuariam a sê-lo. 

Isto denota a importância econômica da região aonde vinham ter manadas de gado do Sul do rio Piratini, com destino as charqueadas a sua margem direita ou a Pelotas.